sábado, 25 de fevereiro de 2012

CBB - CONSELHO DE BRUXOS BRASILEIROS

Manifesto do Conselho de Anciões
e Líderes de Covens do Brasil



Nós, bruxos brasileiros, reunidos neste Conselho de Anciões e Líderes de Covens, preocupados com os rumos da Arte em nosso país, bem como com a crescente deturpação de nossa religião, vimos nos manifestar para tornar públicas as diretrizes comuns a todas as Tradições Wiccanianas, com o objetivo de prestar esclarecimentos à comunidade pagã no Brasil.
Nota-se uma acentuada e crescente tendência a que a Wicca no Brasil perca seus lineamentos básicos, especialmente pela mescla com outros sistemas mágicos e religiosos ou pela divulgação de crenças estranhas à Arte, feita por pessoas que não têm uma experiência do Sagrado vivida em parâmetros sacerdotais, nem com ancestralidade reconhecida. Tais pessoas, ao buscarem divulgar e fazer crescer suas visões pseudo wiccanianas, prejudicam efetivamente muitas pessoas que ouviram o Chamado da Deusa. É em busca da defesa dessas pessoas, iludidas em sua boa fé, que nos manifestamos segundo os princípios abaixo elencados.

* Wicca é a Religião da Deusa, também chamada Bruxaria, A Arte ou A Antiga Religião.

* Wicca é uma religião baseada nas forças da Natureza, na relação mágica com ela, e centrada na celebração dos ciclos sazonais, compondo-se de ritos que resgatam e preservam as antigas religiosidades históricas, centradas na Grande Mãe e no Divino Feminino, fonte de todas as coisas, bem como no Deus Cornífero, seu Filho e Consorte.

* Wicca é uma religião iniciática e sacerdotal, na qual a iniciação Tradicional é outorgada por Altos Sacerdotes de Terceiro Grau ou equivalentes, através da ancestralidade e da transmissão do poder do clã, embora reconheçamos a auto- iniciação como possível fonte de um sacerdócio pessoal, outorgado diretamente pelos Deuses.

* Nós wiccanianos não aceitamos que auto-iniciados possam fundar covens e iniciar outras pessoas, porque não receberam a necessária transmissão do poder do clã e ancestrais do Círculo. Recomendamos a auto-iniciados que tiverem vocação para a liderança de Círculos que busquem confirmação nas Tradições antes de tentarem fundar covens e se tornarem iniciadores.

* Wicca é uma religião de Mistérios. Compete aos mais antigos na Arte, também denominados Elders ou Anciões, zelar pela sobrevivência e pela transmissão dos ensinamentos de sua Tradição, para que não sejam banalizados e deteriorados os conhecimentos sagrados.

* Reconhecemos todas as Tradições wiccanianas, desde que possuam ancestralidade reconhecida e seus fundamentos estejam ligados aos princípios verdadeiros da Arte, e tragam no seu corpo litúrgico-filosófico a expressão de todos os componentes das bases da bruxaria.

* Reconhecemos as diferenças entre as diversas Tradições e respeitamos a individualidade dos covens e clãs, desde que mantenham o estabelecido nos itens anteriores.

* Nós wiccanianos não aceitamos propostas que desestruturem os dogmas e fundamentos de Wicca ou que vão de encontro aos preceitos e práticas legadas pelos Antigos.

* Não reconhecemos qualquer estrutura hierárquica autoritária, exceto aquela interna e pertencente a cada coven ou Tradição individualmente.

* Não reconhecemos superioridade de nenhuma Tradição em relação às outras, bem como não cremos que o sacerdócio dos Antigos seja transmitido por herança genética, mas sim seja a livre escolha de cada pessoa e uma questão de vocação.

* Reconhecemos a presença da Deusa na natureza, nas pessoas e em tudo o que existe, em todas as suas formas e manifestações.

* Wiccanianos não fazem proselitismo em nenhuma hipótese.

* Wiccanianos não fazem distinção e não admitem preconceitos de raça, cor, religião, procedência nacional, gênero, orientação sexual, aparência, posição social, econômica, cultural ou política, vendo na multiplicidade uma expressão sagrada da Deusa.

* Não nos abalamos com discussões e hipóteses sobre as origens da bruxaria. Sabemos quem somos e o que fazemos hoje, construindo a Religião da Deusa em cada um de nossos ritos individuais ou coletivos.

* Wicca é um sistema mágico e religioso completo, que se basta, não sendo preciso que seus membros professem nenhuma outra crença para encontrarem a plenitude de sua realização espiritual.

* Wicca não endossa a separação de matéria e espírito, vendo em ambos a unicidade que representa o sagrado em nossas vidas. Wiccanianos não adotam em sua cosmovisão filosofias maniqueístas.

* Wicca é uma religião que não pretende reproduzir nem imitar antigos cultos pagãos deste ou daquele povo, mas neles apenas se inspira para formar uma religião universal e aberta a todos os que tiverem vocação para ela e sigam seus preceitos específicos.

* Não é um bruxo aquele que apenas assim se denomina, usa trajes ou adornos específicos, nem exibe uma coleção de títulos ou patentes. O bruxo somente se forma com a vivência diária e ininterrupta da experiência do Sagrado nos moldes próprios da bruxaria.

* A base da ética wiccaniana é expressa no respeito ao Dogma da Arte ("Faça o que quiseres se a ninguém prejudicares") e na Lei Tríplice ("Tudo o que fazemos a nós retomará 3 vezes").

Levando em consideração as deturpações mais comuns levadas a manutenção de adeptos por coação, ameaças ou qualquer forma de supressão da liberdade individual.

WICCA NÃO É satanismo, nem culto a anjos, demônios, diabo ou qualquer outra deidade ou ser pertencente ao sistema mitológico judaico-cristão ou de outras religiões patrifocais. Nossa religião se baseia na religiosidade ancestral da Deusa, que é pré-cristã.

WICCA NÃO É simplesmente um caminho mágico, nem está ligado a nenhum sistema de magia cerimonial, mas é sim uma religião sacerdotal, com sua filosofia, liturgia, litanias e código de conduta próprios.

WICCA NÃO É esoterismo, nem está ligada ao movimento new age.

WICCA NÃO É movimento ecológico, embora apóie e incentive qualquer política de preservação e desenvolvimento sustentável.

WICCA NÃO É ligada a nenhuma tribo contra-cultural, embora muitas vezes respeite esses movimentos e suas reivindicações.

WICCA NÃO É praticada por quem cobra por iniciações, nem existe pagamento para se pertencer a covens, porque reconhecemos que a formação de uma Sacerdotisa e um Sacerdote não é um comércio.

WICCA NÃO incentiva, de nenhuma maneira, a transgredir as leis de nosso país.

WICCA NÃO pretende desestruturar as famílias, nem incentiva que crianças e adolescentes a pratiquem sem a expressa autorização de seus pais.

WICCA NÃO incentiva a qualquer forma de assédio sexual e repudia aqueles que se utilizam da fragilidade e ingenuidade das pessoas, disfarçando seus abusos em falsas regras de ingresso em grupos.

WICCA NÃO transforma neófitos em empregados domésticos ou comerciais, nem implica subserviência, exploração de trabalho, nem manutenção de adeptos por coação, ameaças ou qualquer forma de supressão da liberdade individual.

WICCA NÃO é transmitida automaticamente ao final de cursos, nem nela se ingressa simplesmente por ritos vazios, feitos ou instruídos por pessoas inexperientes.


ESTE CONSELHO REPUDIA QUALQUER TENTATIVA DE INSTITUCIONALIZAÇÃO DA ARTE, bem como alerta sobre os falsos líderes que tentam se arvorar em donos da Wicca no país.
Somente reconhecemos qualquer forma de associação civil como a expressão de liberdade de seus membros, e dos que a elas se filiarem voluntariamente, não cabendo normatizações da Arte como um todo, sob pena de se estar descaracterizando a bruxaria.


ESTE CONSELHO ALERTA que a bruxaria neste país é uma religião constitucionalmente estabelecida, como qualquer outra crença, expressão dos direitos e garantias individuais do cidadão, expressos no Art. 5° da Constituição Federal, não precisando ser legalizada ou de qualquer forma legitimada pelas instituições estatais, visto que o Estado Brasileiro é laico (alheio, por obrigação legal à qualquer religião).
O espírito que une as pessoas deste Conselho, muito longe de buscar uma institucionalização, é o de buscar declarar e divulgar as diretrizes, comumente aceitas por diferentes ramos da bruxaria. Reconhecemos que a Wicca, embora comporte um grande número de variações em costumes e práticas, têm raízes básicas que a todos os seus praticantes são comuns, raízes essas que a caracterizam e não podem estar ausentes de qualquer prática que se possa denominar Wicca.
E por concordarem com todos os aspectos aqui expostos, assinam a presente e divulgam este texto para conhecimento da comunidade e orientação daqueles que desejam ingressar na bruxaria. Conclamamos aos demais líderes e anciões que concordem com as diretrizes aqui expostas, a apoiarem este manifesto.

São Paulo, 25 de janeiro de 2003